RUMO AOS 7 MIL! NO HORIZONTE, UM PROJETO POPULAR PARA A JUVENTUDE DO NOSSO PAÍS!

Animação, mística, força e luta marcaram o lançamento do 3° Acampamento Nacional do Levante Popular da Juventude. O evento aconteceu, em Belo Horizonte (24), durante o Festival Nacional de Arte e Cultura da Reforma Agrária e contou com a presença de militantes das cinco regiões do país.

O Acampamento Nacional é a meta síntese do Levante, é durante esse encontro que toda a militância se reúne em uma discussão coletiva sobre os rumos e aprofundamentos do movimento. O 3° encontro, que vai reunir, entre os dias 5 a 9 de setembro, 7 mil jovens no estádio do Mineirinho, em Belo Horizonte, tem como lema “Nossa rebeldia é o povo no poder!”

photo715570199401703506

Dada a largada para o 3° Acampamento Nacional do Levante Popular da Juventude

O tema resume a luta, desejo e meta do movimento. Diante da conjuntura política, onde vivenciamos um golpe contra a nossa democracia, e o avanço das forças conservadoras, enfrentado não só no Brasil, mas em todos os territórios que se opõe à exploração do capitalismo, nós Levante Popular da Juventude, entendemos que se faz urgente, mais do que nunca, colocar em prática um projeto popular para o Brasil, é o que afirma um dos dirigentes nacionais do movimento, Thiago Pará “Nós, a juventude da classe trabalhadora, carregamos dentro de nós um sentimento que é explosivamente rebelde, que é fruto de anos e anos de exploração, opressão e massacre. É esse sentimento de rebeldia, represado em cada um e cada uma de nós, que nos coloca a tarefa urgente de fazermos um acerto de contas com o imperialismo que subjuga e explora os nossos povos!” afirma.

O lançamento do evento é fruto de um seminário preparatório de construção do Acampamento. A formação, que aconteceu entre os dias 21 e 24 de julho, trouxe um panorama sobre a situação política e social do país, com análises de militantes como Ranulfo Peloso e Fernanda Jatobá – ambos do CEPIS, Frederico Santana – da Consulta Popular e também do internacionalista Umut Kocagoz da Organização Çiftçi-sen (Via Campesina) que falou sobre a situação dos jovens diante da tentativa de golpe na Turquia.

Entendemos que o maior desafio apontado para os nossos jovens é enfrentar a situação do nosso país propondo um projeto popular para o Brasil, através de uma plataforma de luta que articule todos os setores da juventude brasileira. Unifique o campo, a cidade e a favela em torno de uma proposta democrática e popular para o nosso país, que se dará, fundamentalmente através da implantação de uma Constituinte Exclusiva e Soberana do Brasil.

Para Joceli Andreoli – Coordenador Nacional do MAB (Movimento dos Atingidos por Barragens) o Levante aparece no cenário de luta nacional, como um norte para a juventude brasileira “Eles dizem que a luta terminou, nós dizemos ela apenas começou! Nós precisamos reconstruir um projeto que leve a cabo a revolução brasileira, pra nós nos emanciparmos enquanto povo nação e é nisso que a gente deposita a esperança no Levante. É pra isso que nasceu o Levante, é pra fazer a revolução brasileira.”

Em suas primeiras edições, os Acampamentos Nacionais do Levante, aconteceram no Rio Grande do Sul e em São Paulo, agora, é a vez de Minas Gerais. Para Andréia Roseno, militante da FETRAF, receber o evento no estado é um ganho para a luta dos mineiros “Minas Gerais está irradiada porque aqui nos estamos culminando alguns anos de luta. Precisamos de justiça para a juventude, precisamos de justiça para a classe trabalhadora!”

Além da FETRAF e do MAB, o evento também contou com a presença de representantes de outros movimentos parceiros ao Levante, como Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, a Marcha Mundial das Mulheres, a Pastoral da Juventude Rural, a Coordenação Nacional de Entidades Negras, Fora do Eixo entre outras entidades.


Deixe seu comentario