Posts tagged with: Conservadorismo

Que fazer com o conservadorismo?

Por Lucas Inocêncio, militante do Levante Ceará e Diretor de Movimentos Sociais da UNE

No dia 9 de julho, aconteceu uma manifestação estudantil em frente ao Campus Itaperi da Universidade Estadual do Ceará (UECE). Atividade construída pelo Diretório Central dos Estudantes (DCE) que estava reivindicando aos governos estadual e federal os fins dos cortes na área da educação. A manifestação se constituía pacificamente até um proprietário de um veiculo avançar no bloqueio da pista e atropelar três estudantes, sendo dois levados com urgência aos hospitais mais próximos.

É dever nosso realizar um diagnóstico sobre esse fato. O conservadorismo que estamos presenciando desde ano passado, vem trazendo o discurso de ódio contra qualquer manifestação democrática e progressista. Nesse caso, nada mais é que um exemplo concreto “de peitar” e enfrentar as manifestações democráticas. De colocar em prática o discurso de ódio, de intolerância e de desrespeito ao conjunto dos movimentos sociais.

Diante disso, nos cabe nos amedrontar, recuar e se esconder? Não! Devemos sim nos organizar contra esse discurso de ódio, de intolerância de desrespeito. Nos cabe, a tarefa de organizar cada vez mais jovens estudantes e trabalhadores pré-dispostos que almejam mudanças reais.

Observamos que o senhor Eduardo Cunha, presidente da Câmara de Deputados do Congresso Nacional vem representando bem esse discurso de ódio, principalmente colocando em prática como presidente da Casa, votações que carregam profundamente esse retrocesso nas pautas da terceirização, contrarreforma política e redução da maioridade penal.

Para barrar todas as tentativas desse conservadorismo, devemos evidenciar os anseios desse projeto reacionário. Nesse sentido, se faz urgente e necessário colocar em debate as principais questões da agenda política. Através da participação direta do povo brasileiro que poderemos dar passos importantes para a consolidação da nossa democracia, com uma Constituinte Exclusiva e Soberana do Sistema Político poderemos realizar esse feito da participação direta em nossas decisões.


Nenhum direito LGBT a menos! #ForaEduardoCunha Para LGBT avançar, Constituinte Já!

A página "Colorindo o Projeto Popular" divulga através do Facebook questões referentes a luta LGBT

A página “Colorindo o Projeto Popular” divulga através do Facebook questões referentes a luta LGBT

 Apesar de toda politização do processo eleitoral em 2014 e das lutas travadas no decorrer deste ano, saíamos do pleito com a eleição do Congresso mais conservador desde a ditadura militar. Inúmeros parlamentares que defendiam os direitos humanos deram lugar a fundamentalistas, empresários e ruralistas que, de maneira velada e articulada, promovem uma verdadeira ofensiva contra a população LGBT, mulheres, negras e negros, indígenas, camponeses etc.

Em 2015, com a eleição de Eduardo Cunha (PMDB), um dos grandes líderes conservadores, esta situação se agrava e desafiando a esquerda brasileira a construir uma agenda unitária de lutas contra o conservadorismo majoritário no Congresso Nacional. Logo após a vitória de Eduardo Cunha, suas declarações explicitaram um posicionamento notadamente reacionário, como por exemplo: “Aborto e regulação da mídia só serão votados passando por cima do meu cadáver”. Além disso, a retomada da discussão do projeto que reconhece o modelo de família no Brasil, que na prática é uma arma contra a adoção por casais LGBTs, do qual o mesmo foi o proponente, havia sido arquivado, contudo, foi retomado e está na ordem de prioridades da câmara federal.

Esta atitude repugnante e retrógrada demonstra o enorme desafio que teremos no próximo período para lutar por uma Reforma Política que não seja definida por este congresso, tal como é o interesse da classe dominante. Ao contrário, os posicionamentos conservadores e antidemocráticos do atual congresso, representando pelo Eduardo Cunha (PMDB) devem nos impulsionar na luta por uma Constituinte Exclusiva e Soberana do Sistema Político. Só com a Constituinte será possível construir uma reforma política com representantes da diversidade que tem o povo brasileiro, ampliando a participação das mulheres, LGBTs, negras e negros, indígenas e jovens que atualmente são subrepresentados/as neste sistema.

É impensável que em 2015 tenhamos um congresso que é contra o casamento igualitário, contra a criminalização da homofobia, contra a adoção de crianças por casais LGBTs, contra a legalização do aborto e tantas outras bandeiras dos direitos humanos. Em memória e em defesa da luta que nos possibilitou a visibilidade enquanto LGBTs repudiamos qualquer ação conservadora que ataque os direitos humanos.

É por isso que nesse momento é imperativa a luta por uma Constituinte Exclusiva e Soberana do Sistema Político, convocada por meio de um plebiscito oficial. Garantir a reforma política com ampla participação popular é uma condição para barrar retrocessos aos direitos humanos LGBT que vem sendo diariamente alvejado pelo Congresso Nacional mais conservador desde a ditadura militar.

Levante para colorir o Congresso Nacional!

Levante por #ConstituinteJá!

 

LGBT`s na luta pela Constituinte

LGBT`s na luta pela Constituinte