Posts tagged with: MST

Nota sobre a repressão policial no ato em Brasília

15181465_1321515621247322_2132645134308579724_n

Nós, do Levante Popular da Juventude DFE, repudiamos a atuação violenta da polícia militar do governo Rollemberg no ato de ontem (29). Nós, movimentos sociais, mulheres, negros e negras, LGBTS, estudantes universitários e universitárias, secundaristas, professores e professoras, trabalhadores e trabalhadoras, pessoas idosas, com necessidades especiais, entre vários setores da sociedade, fizemos uma manifestação pacífica e democrática contra a PEC 55, que tramita no Senado Federal. A polícia genocida agiu contra o ato com bombas de efeito moral, gás de pimenta, balas de borracha, cavalaria e cachorros para assustar a população e acabar com a manifestação. Estamos nas ruas contra os retrocessos e não cederemos à violência institucional.
Infelizmente, a PEC do fim do mundo, que impõe um teto para os gastos públicos pelos próximos 20 anos, foi aprovada em primeiro turno ontem no Senado Federal. Continuaremos nas ruas por acreditar que a proposta representa séria ameaça aos direitos e políticas sociais conquistados, podendo inviabilizar, entre eles, o Plano Nacional de Educação e a capacidade de atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS). Acreditamos que tal medida não é a solução almejada para o enfrentamento da crise econômica, política e social enfrentada hoje pela sociedade brasileira e, em especial, pela classe trabalhadora, para a conquista de direitos e superação das explorações e opressões. A saída é um projeto popular para o país, a partir da reforma do sistema politico, para a conquista da democratização dos poderes e o fim da criminalização dos movimentos sociais.
Na manifestação, o militante do MST e estudante da UnB (FUP), Bruno Leandro de Oliveira Maciel, foi detido quando retirava algumas pessoas machucadas do meio da confusão e continua arbitrariamente preso. Exigimos a libertação imediata de Bruno Leandro de Oliveira Maciel!
O governo autoritário e ilegítimo de Michel Temer, com sua atuação truculenta, não arrancará os nossos sonhos do horizonte.

30 de Novembro de 2016

#NãoàPEC55 #NãoàPECdoFimdoMundo #ForaTemer #PeloFimdaPM


Somos contra a criminalização da esquerda!

Lutar não é crime! Contra a criminalização da esquerda!

Lutar não é crime! Contra a criminalização da esquerda!

Participar de movimentos sociais, partidos e organizações de esquerda, e lutar pela transformação da realidade não é crime.

Na tarde de hoje (18) o Superior Tribunal de Justiça (STJ) concedeu o habeas corpus ao militante do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) e preso político José Valdir Misnerovicz.
Geógrafo e reconhecido defensor da reforma agrária popular, Valdir estava preso desde o dia 31 de maio, no núcleo de Custódia de Aparecida de Goiânia/GO. O militante foi preso sob acusação de pertencimento à organização criminosa.

Nesse momento, milhares de jovens estão se mobilizando em todo o Brasil. Ocupando mais de 600 escolas, universidades, realizando marchas e debates contra a PEC 241 e MP 746. Trabalhadores e trabalhadoras do campo e da cidade se organizam e lutam para não perder direitos com as medidas do governo Golpista de Michel Temer. Ao mesmo tempo, vemos o poder judiciário agindo de forma parcial e seletiva, perseguindo a esquerda brasileira.

Apesar da liberdade de José Valdir representar uma vitória, mais 3 militantes do MST do estado de Goiás permanecem presos.

Seguiremos organizando a juventude, continuaremos em luta!
Todo apoio aos companheiros e às organizações criminalizadas, a luta continua! E lutar não é crime.

Liberdade aos presos políticos!


Ato contra redução da maioridade penal encerra Curso Popular da Juventude no ES

 O som de palavras de ordem e de músicas de protesto preencheu a cidade de Colatina na manhã da última segunda feira, 20 de julho. O ato contra redução da maioridade penal foi realizado no centro da cidade e marcou o encerramento do Curso Popular da Juventude, que aconteceu entre os dias 18 e 20 de julho no campus do Ifes de Itapina, localizado no interior do ES. A atividade, organizada em conjunto pelo Levante Popular da Juventude, Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra e Movimento dos Pequenos Agricultores, recebeu cerca de 250 jovens, em sua maioria estreantes em espaços de formação política.

 A troca de saberes e de experiências foi o ponto forte do curso, que contou com participantes vindos do campo, de escolas secundaristas, de faculdades públicas e privadas, além de bairros de periferia da região metropolitana de Vitória.

 A diversidade de origens e estilos dos participantes não impediu a construção de uma identidade comum entre os jovens: a da Juventude do Projeto Popular. Tal identificação foi proporcionado pelos espaços de formação e rodas de conversa, que apontaram como a realidade de jovens tão distantes cultural e geograficamente se aproxima ao se tratar das opressões e desafios enfrentados por todos os jovens ali presentes.

 Allana Soares, integrante da coordenação político pedagógica do curso, fala da importância de momentos como esse para a juventude capixaba: “temos vivido uma realidade de muita violência contra a juventude e essa realidade se endurece quando pensamos no nosso estado. O curso apontou que é só junto e se organizando para pensar a raiz desses problemas que podemos transformar o que vivemos. Saímos de lá com o compromisso de expandir essa experiência, de levar a cada vez mais jovens a possibilidade de sonhar coletivamente com um futuro construído a muitas mãos”, destaca.

 Com uma experiência nova para muitos, que soma vivência coletiva, troca de saberes, oficinas, noites culturais e debates sobre sistema político, organização, gênero, racismo e homofobia, cada participante deixa o encontro com a semente da rebeldia plantada no coração e na mente, fazendo jus ao que disse Che Guevara: “Ser jovem e não ser revolucionário é uma mutação genética”.

Jovens protestam em Colatina

Jovens protestam em Colatina

O ato percorreu algumas ruas da cidade

O ato percorreu algumas ruas da cidade

Mais fotos do encontro aqui


Deputado federal Lelo Coimbra é escrachado no Espírito Santo

O deputado federal Lelo Coimbra (PMDB) foi alvo de um escracho na manhã do dia internacional da trabalhadora e do trabalhador. Cerca de 60 militantes de movimentos sociais e sindicatos que compõem o Comitê Estadual do Plebiscito Constituinte protestaram na secretaria do mandato do político, localizada na Enseada do Suá, em Vitória.

A ação ocorreu como forma de desaprovação ao voto favorável do deputado ao Projeto de Lei 4330, o PL da terceirização. Segundo Amanda Veridiano, militante do Levante Popular da Juventude, “o projeto de lei vai precarizar o exercício profissional e trazer inúmeros prejuízos a classe trabalhadora brasileira, em especial às mulheres, que historicamente já ocupam os piores postos de trabalho, exercendo suas funções de maneira precarizada e recebendo uma média salarial inferior ao que é pago aos homens”.

Os outros deputados do ES que votaram favoravelmente ao PL foram: Carlos Manato (Solidariedade), Dr. Jorge Silva (Pros), Evair de Melo (PV), Marcus Vicente (PP), Paulo Foletto (PSB) e Sergio Vidigal (PDT). O deputado Max Filho (PSDB) não participou da votação, porém outros representantes de seu partido votaram a favor do PL. Lelo Coimbra e todos os outros deputados tiveram suas campanhas financiadas por grandes empresas privadas, que serão as principais beneficiárias da política de terceirizações.

 A campanha eleitoral de Lelo Coimbra foi financiada por doações de diversas empresas. Entre todas as contribuintes, a maior quantia veio da Fibria, empresa produtora de celulose instalada no ES envolvida em inúmeros casos violação aos direitos de camponeses, indígenas e quilombolas, além do irreparável prejuízo que causa ao meio ambiente.

Além do Levante, participam do escracho o Sintec, o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, o Movimento dos Pequenos Agricultores, a Consulta Popular, o Sindilimpe e a CUT, todos integrantes do Comitê Estadual do Plebiscito Constituinte. Após a ação, os manifestantes seguiram rumo a uma marcha referente ao 1º de maio.

Militantes em caminhada na rua da secretaria de Lelo Coimbra

Militantes em caminhada na rua da secretaria de Lelo Coimbra

Escracho em frente a secretaria

Escracho em frente a secretaria

Intervenção na secretaria do mandato de Lelo Coimbra

Intervenção na secretaria do mandato de Lelo Coimbra

Fotos: NINJA ES

Mais imagens do ato e carta escrita pelo Levante Capixaba aqui


RS dá início ao seu VI Estágio Interdisciplinar de Vivência

 Na última quarta-feira (4), teve início na cidade de Santa Cruz do Sul a primeira etapa do VI Estágio Interdisciplinar de Vivência/RS. A atividade, que acontecerá até o dia 18 de fevereiro, conta com a participação de 25 estagiários de universidades do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e da Argentina.

 A organização do EIV é compartilhada entre os movimentos Levante Popular da Juventude, Movimento de Pequenos Agricultores (MPA) e Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). A iniciativa pretende aproximar a universidade e os estudantes da realidade camponesa e dos movimentos sociais do campo que lutam pela transformação da sociedade, com muita mística, estudo, disciplina e animação.

 A primeira e terceira etapas do Estágio contam com formações sobre Economia Política, Questão Agrária, Opressões, Juventude, entre outros temas. A vivência em assentamentos e acampamentos rurais compreende a segunda etapa do estágio e acontecerá entre os dias 9 e 16. Esta é a oportunidade não só de conhecer, mas de partilhar a vida e luta camponesa, a realidade cotidiana dos movimentos de trabalhadores rurais em uma perspectiva que vai além do aprendizado teórico ao qual os universitários já estão habituados.

As etapas de formação teórica e de preparação para as vivências acontecem no Centro de Produção e Formação Camponesa São Francisco de Assis, uma iniciativa do MPA para desenvolver e viabilizar a produção dos pequenos agricultores.

Mais informações através do site: www.eivrs.wordpress.com

Estudantes reunidos durante a etapa de preparação do estágio.

Estudantes reunidos durante a etapa de preparação do estágio.