Leilão é privatização!

Leilão é privatização!

Previsto para começar às 14h no hotel Windsor, na Barra da Tijuca, o leilão do campo de libra é um atentado contra a soberania nacional e entrega às mãos da privatização uma área de 180 km do nosso pré-sal.

Comprovadamente lá estão depositados de 12 a 14 mil barris de petróleo, correspondendo a tudo que a Petrobras já explorou durante sua existência.    
É pela soberania nacional que hoje o Sindicato do Petroleiros (Sindipetro) que está em greve há vários dias, saiu às ruas junto a diversas centrais sindicais e movimentos sociais pela não privatização do petróleo. Em Sergipe os sindicatos e movimentos se dividiram em diversos locais do estado, fechando o Tecarmo, pontos de extração e a sede da empresa em Aracaju. 


O Levante Popular da Juventude (SE) uniu-se à luta, afirmando o repudio à privatização e ressaltando que além de um momento para se pensar no Petróleo é também momento avaliar se o lucro que se tira das riquezas brasileiras volta para o povo. A militante Jessy Dayane, 1º Diretora de Mulheres da União Nacional dos Estudantes (UNE), afirma: “Nós tomamos a posição, tomamos o lado de defender que essa riqueza vá para o povo trabalhador, vá para as periferias, vá para o campo e vá para os lugares que não tenha acesso a educação, saúde à trabalho e é pra isso que a nossa riqueza tem que servir.”


O Petróleo é riqueza do povo e o povo brasileiro precisa dele para investir em saúde, educação e tecnologia para o povo. Nossas riquezas não podem ser exportadas, continuaremos nas ruas e em luta por aquilo que é nosso.