Carta do I Curso Popular da Juventude – Ceará

Carta do I Curso Popular da Juventude – Ceará

O I Curso Popular da Juventude – Ceará, que ocorreu entre os dias 05 a 08 de setembro de 2015, na Universidade Estadual do Ceará – UECE, reuniu 1.200 jovens de todas as regiões do estado. O Curso Popular tem como objetivo fomentar a organização e a participação da juventude na construção de um Projeto Popular para o Brasil, na perspectiva de construção de uma sociedade justa e igualitária, o socialismo.

Vivenciamos em nosso país um momento marcado pela ofensiva conservadora da direita na sociedade e de cerco nas diversas instituições da República, que tem como objetivo retirar direitos da classe trabalhadora e da juventude. A proposta em curso de redução da maioridade penal, somado aos cortes no orçamento da educação, a retirada de direitos trabalhistas, a violência contra às mulheres, o discurso de ódio contra a população LGBT, e o extermínio dos povos indígenas representam um verdadeiro projeto de morte para a juventude, em especial a negra e pobre das periferias das grandes

Esta ofensiva comandada pelo Congresso Nacional, o mais conservador desdea Ditadura Militar e dominado pelo fundamentalismo religioso, pelo agronegócio e pelas grandes empresas, tem a grande mídia como aliada, e serve aos interesses dos bancos, do imperialismo norte-americano e da burguesia brasileira que não admitem um processo de transformação mais profundo em nosso país.

No estado do Ceará estamos no quarto ano seguido de seca e os diversos governos não tem conseguido resolver os problemas estruturais da falta d’água, pois assim como a terra, a água continua concentrada nas mãos de poucos. Estamos entre os cinco estados com maior índice de mortalidade de jovens no país, configurando um verdadeiro genocídio da juventude negra e pobre. Além disso nos entristece que o Ceará, seja um dos estados do país que mais mata mulheres vítimas de violência doméstica e sexual. Ainda sofremos com a falta da demarcação das terras indígenas, temos milhares de famílias sem-terra e sem moradia.

Diante dessa realidade desafiadora nós jovens do campo e da cidade reunidos no I Curso Popular da Juventude – Ceará nos comprometemos a construir um projeto de vida para a juventude que garanta todos os nossos direitos. Coletivamente assumimos os seguintes compromissos:

– Construir células do Levante Popular da Juventude nos diversos municípios em todas as regiões do estado do Ceará. A juventude brasileira necessita de uma alternativa de organização e de luta, que tenha a capacidade de mobilizar a massa de jovens em torno de um projeto de país.

– Fortalecer a organização da juventude camponesa, sem-terra, atingidos por barragens, pequenos agricultores, indígenas, quilombolas e ribeirinhos, aprendendo com sua história e com suas diversas formas de resistência e de luta.

– Lutar em defesa de uma reforma política através de uma Constituinte Exclusiva e Soberana do Sistema Político, que garanta a participação da juventude e do povo brasileiro nos rumos da nação, democratizando o Estado e refundando a República brasileira.

– Lutar em defesa da Petrobrás e da Soberania Nacional. A defesa da Petrobrás e do fundo social do Pré-Sal são fundamentais para pensarmos um projeto de país que garanta os direitos da juventude.

– Lutar contra o machismo, racismo, homo-lesbo-bi-transfobia. Compreendendo a diversidade da juventude brasileira e a necessidade combater toda forma de opressão.

– Lutar incessantemente pelos direitos da juventude: contra a redução da

maioridade penal, em defesa da educação pública, pela democratização do ensino

superior e dos meios de comunicação, por direito à cultura e informação para toda

a juventude.

– Na unidade das forças populares. Sabemos que a construção de um

Projeto Popular para o Brasil é tarefa de milhões de brasileiros/as, e que a

juventude é parte importante deste processo, mas temos certeza de que só

seremos vitoriosos se conseguirmos construir uma ampla unidade dos movimentos

populares, sindicais e partidos de esquerda.

– Fortalecer o sentimento de solidariedade e internacionalismo entre a

juventude e os diversos povos do mundo. Sabemos que a luta contra o capitalismo

e seu projeto de morte da juventude é internacional. Internacional também deve ser

a luta da juventude.

Pátria Livre!

Venceremos!