Relato sobre a Escola Manoel Francisco em Nova União-RO

Relato sobre a Escola Manoel Francisco em Nova União-RO

João José de Oliveira, popular João Levi, do partido PSD foi eleito prefeito em Nova União-RO. Entregou a Secretaria Municipal de Educação ao PSDB partido pequeno, pouco expressivo no município e que tem como presidente a professora Eni Pereira da Silva. Eni apresentou o professor Cláudio Adão Maia como Secretário de Educação.

Desde então Cláudio e Eni formam uma panelinha em torno da Secretaria de Educação, têm voz ativa e acesso a Prefeitura municipal e no início do mês de janeiro de 2021 colocou em plano Retirar as Crianças da Escola Municipal Manoel Francisco e levar para a Escola Municipal Marcos Adriano Isller.

A escola Manoel Francisco construída em 2012, padrão FNDE/MEC e destinada a educação infantil, é localizada na cidade próxima a Escola Marcos Adriano Issler. Em 2020 a Manoel Francisco atendeu 238 crianças, turmas 3º, 4º e 5º ano e atende crianças do campo e da cidade.  A proposta da Secretaria de Educação é instalar nas dependências da Escola Manoel Francisco a Secretaria Municipal de Educação e Biblioteca Municipal. Usa como discurso para convencer sobre a sua proposta que estaria contendo gastos, porém fala de reformas necessárias nos ambientes em que for destinado os alunos.

As famílias não aceitam. Por ser uma escola nova, tem acessibilidade, programa de combate a incêndios e uma estrutura favorável as crianças, além de espaços amplos e arejados o que não encontram na outra escola Marcos Adriano Isller por ser uma estrutura antiga, mal conservada, com mofos e ambientes fechados, poucos arejados, além de ressaltos e pontas afiadas de cerâmicas expostas que põem em riscos a vida das crianças.

Outro fator apresentado pelas famílias é quanto a Pandemia COVID 19, que já causam danos a Educação, sendo este o pior momento para desenvolver este tipo de ação, retirada de alunos da escola.

Ao retornar as aulas presenciais serão necessários mais espaços e menos crianças em salas de aula, para se recuperar as lacunas e déficit de aprendizagens provocadas pelas aulas remotas em função da pandemia.

Outros fatores que preocupa muito em Nova União é a forma como vem sendo tratadas vários profissionais da educação em função do fechamento da Escola Manoel Francisco, são jogados de um lado para outro sem levar em consideração as condições reais dos profissionais prestarem serviços em outras unidades escolares. Sem considerarem inclusive as situações de locomoção e as situações de saúde destes profissionais, muitos destes inclusive são do grupo de riscos para a Covid 19.

Além disto, as chantagens, tentativas de intimidações, retaliações feitas à profissionais da educação, as famílias ou lideranças que participam da luta em defesa da permanência na Escola Manoel Francisco, são muitas praticadas por pessoas ligadas à Prefeitura e a Secretaria Municipal de Educação.

Várias ações foram feitas para se impedir que isto aconteça. O Conselho Estadual de Educação foi acionado, mas até o momento não se manifestou. O Ministério Público também foi acionado, chegou a ter uma audiência pública com representação dos pais, Prefeito, Secretário de Educação e presidente do Conselho Municipal do Fundeb. Houve uma orientação do MP para que a Secretaria não agisse por conta nem fizesse nada que implicasse em gastos, até que o MP viesse com uma equipe técnica para fazer uma vistoria nas 2 escolas e dessem um parecer.

Mas o Secretário de Educação continua desrespeitando a opinião das famílias, manifestadas em reuniões e as orientações do MP e estão retirando documentações das crianças da Escola Manoel Francisco e fazendo lotações na Escola Marcos Adriano Issler. Criando grupos de turmas, entregando materiais escolares as famílias e exigindo que assinem um termo de compromisso de que receberam os materiais.

O clima é tenso no município e a comunidade escolar e boa parte da população clamam as autoridades que resolva este problema o mais rápido possível porque o calendário escolar já iniciou e as famílias seguem na incerteza de como será a vida escolar de seus filhos, matriculados na Escola Manoel Francisco de Oliveira e indignados com a falta de respeito do Executivo a opinião que têm sobre a permanência das crianças na escola.

Em função das repercussões em torno desta questão, o prefeito demonstra em alguns momentos estar arrependido em ter como Secretário de Educação Cláudio Maia devido aos desgastes políticos que vem enfrentando diante da reação da comunidade quanto a retirada dos alunos da Escola Manoel Francisco, mas diz que se fizer isto contraria a Eni que por sinal é sua prima e o partido que ela representa. E mantém-se calado, inerte, sem interferir nos desmandos que estão ocorrendo na pasta da Educação.