Mensagem de Aton Fon Filho

É claro que eu sou suspeito para falar do Levante Popular da Juventude.

E, o que é pior, não me envergonho de dizê-lo. Antes, me orgulho.

Orgulho-me de dizer que nesta terra existem homens e mulheres que, como o povo de Canudos e os Cabanos; como Felipe Camarão e Vidal de Negreiros; como a Coluna Prestes e os Expedicionários da FEB, resgatam a bandeira da liberdade.

E, com isso, eu sou suspeito para falar do Levante Popular da Juventude. Eu sou suspeito para falar do Levante Popular da Juventude, porque a Memória, a Verdade e a Justiça são ainda somente uma aspiração, uma aspiração que em seus cantos, suas marchas, seus escrachos encontram o veio da concretização .

Por isso, companheiros e companheiras, eu sou suspeito para falar do Levante Popular da Juventude. Eu sou suspeito para falar do Levante Popular da Juventude porque na periferia de nossas cidades, nossa juventude pobre e negra está sendo assassinada pelas forças policiais e os tambores e as latas, as camisetas e as batas do Levante Popular da Juventude gritam alto que estamos em jornada de organização de nosso povo para resistir.

Como não ser suspeito para falar do Levante Popular da Juventude? Eu sou suspeito para falar do Levante Popular da Juventude, porque houve um Emmanuel Bezerra dos Santos e um Luiz Maranhão, uma Soledad Barrett e uma Jana Moroni que vieram antes, mas que renascem nas vozes e gestos, carícias e afetos de homens-meninos, meninas mulheres que não se cansam de ser patriotas e querer a liberdade.

Suspeito, para falar do Levante Popular da Juventude, trago de longe minha palavra a essa festa. Uma festa de gente suspeita. Gente que não se envergonha de falar em Direitos Humanos e defender a igualdade. Gente que festeja em dezembro a possibilidade de caminhar juntos para fazer real a esperança de um mundo melhor.

Gente que, no mínimo, enche o peito de orgulho para cantar os versos do hino: “Mas, se ergues da Justiça a clava forte, verás que um filho teu não foge a luta”. Hummm. Gente que, no mínimo, também seria suspeita para falar do Levante Popular da Juventude.

Essa gente! Esse Levante Popular da Juventude! Esses Brasileiros!

Meus irmãos! Pátria Livre! Venceremos!

Depoimento do ex-preso político e torturado Aton Fon Filho, advogado, ativista dos Direitos Humanos e Diretor da Rede Social de Justiça e DH