O PIOR ENEM DA HISTÓRIA

O PIOR ENEM DA HISTÓRIA

No último domingo, dia 17/01, tivemos a confirmação de um fracasso anunciado/previsto. Estamos diante de um projeto de sucateamento da educação brasileira e de nossa ciência.

A realização do ENEM em meio à pandemia trouxe uma taxa de abstenção (pessoas que não foram fazer a prova) maior do que 50%, somando mais de 2,8 milhões de pessoas. No último ano essa taxa foi de 23%. A decisão pela prova em janeiro contrariou as expectativas de milhões de estudantes que pediram o adiamento do ENEM. A sua execução em meio à uma forte crise sanitária trouxe muitos medos e descrenças para a realização da prova e o acesso ao ensino superior.

O MEC bolsonarista, sob a coordenação do ministro Milton Ribeiro, não se importou em lotar salas, expondo milhões de pessoas ao Coronavírus. Construiu uma logística completamente diferente do que estava sendo passada: “todos os protocolos serão seguidos para evitar o aumento do contágio”.

Além disso, os estudantes de classes populares tiveram muitas dificuldades para se prepararem para os exames, com as escolas fechadas e a dificuldade no acesso às aulas virtuais. Nossos cursinhos populares buscaram diversos e criativos caminhos ao longo de 2020 para contribuir na preparação de centenas de jovens – plantões no whatsapp, gravação das aulas, compra de pacote de dados para participação das aulas on-line etc. – entretanto, inúmeras foram também as dificuldade para garantir, ao final, uma boa preparação para nossos educandos e educandas.

O projeto bolsonarista para o ensino superior brasileiro vai aos poucos virando a página de seu recente e tímido processo de democratização, para retomar a sua rota elitista. Esse último ENEM é mais uma comprovação da lógica de exclusão do povo pobre da periferia e com pitadas sádicas frente a um vírus que já matou mais de 200mil pessoas no Brasil.

É preciso defender nossa educação e o ENEM – uma das principais ferramentas de democratização do ensino superior. Mais do que nunca precisamos lutar pelo nosso futuro e cada cursinho popular cumprirá um papel fundamental na superação dessa realidade perversa. E lutar por um projeto de educação democrática e popular é lutar pelo Fora Bolsonaro!

✊🏾 Seguimos em luta!

#ForaBolsonaro