Levante Popular da Juventude realiza Encontro Municipal em Aracaju

Levante Popular da Juventude realiza Encontro Municipal em Aracaju

Por João Mulungu,

No dia 02 de Setembro aconteceu o I Encontro Municipal do Levante Popular da Juventude Aracaju, na Escola Estadual Castelo Branco, no bairro Industrial. O Encontro teve a participação de mais de 45 jovens de vários bairros aracajuanos, do movimento Hip Hop e do Movimento Estudantil e contou com muita animação, estudos, debates e uma vontade enorme de transformar a realidade de opressão e discriminação da sociedade brasileira.


Nas semanas anteriores ao Encontro, os/as militantes do Levante realizaram um processo de convites e preparação. Durante o encontro, os temas mais debatidos foram as Eleições municipais de 2012, o Grito dos Excluídos e a definição da organicidade municipal para o movimento. Foi marcante no encontro o envolvimento dos jovens nos debates e a construção coletiva das propostas para os próximos passos do Levante.


Referente às eleições municipais, o principal encaminhamento foi a necessidade de derrotar a candidatura de João Alves (DEM) para prefeito de Aracaju, pois seria um grande retrocesso para o povo se as forças mais conservadoras do Estado voltassem a administrar a prefeitura municipal, assim como derrotar as candidaturas a vereadores dessa mesma coligação. A juventude se comprometeu a ir pras ruas e fazer inúmeras atividades de agitação para denunciar o projeto conservador, violento e elitista de João. Afirmaram os jovens no debate: “João é negão do povo na campanha, mas é um branquelo de sangue azul que serve aos ricos quando assume os cargos”.


Para o Grito dos Excluídos, os jovens do Levante estudaram o histórico e o tema do Grito desse ano. Depois se dividiram em grupos para construir as principais pautas da juventude que o movimento irá levar para as ruas no dia 07, como por exemplo, pelo fim do extermínio da juventude negra, mais qualidade na educação e transporte público e reafirmando a vitória que foi a aprovação das cotas para universidades públicas.  Também construíram como a juventude deve mostrar sua cara nas lutas, e foi marcada uma oficina preparatória para o Grito dos Excluídos, no dia 05, quarta-feira, a partir das 14h em baixo da ponte do bairro Industrial, onde irão fazer músicas, teatro, panfletos, cartazes, batucados etc. 

      
Em tempos de conformismo a juventude que sonha com um Brasil diferente segue se organizando e fazendo lutas para enfrentar a classe das elites que insiste em não dar espaço para o povo construir seu próprio destino. Os desafios para a organização da juventude são enormes, porém, só com o povo organizado e em luta é que as transformações que o Brasil precisa ocorrerão. E assim segue o Levante Popular da Juventude, “com os pés no chão e a cabeça nas estrelas!”.