Carta pública sobre a Venezuela

Nós, que firmamos essa declaração – representantes de movimentos populares, organizações politicas, intelectuais e artistas -nos dirigimos a vossas excelências para alertá-los, que consideramos as posições do atual governo dos Estados Unidos, um desrespeito à autonomia dos povos, às normas das Nações Unidas e do direito internacional. Portanto:

1. Exigimos pleno respeito ao direito internacional e apoiamos incondicionalmente o direito da Venezuela à autodeterminação e à soberania;

2. Rejeitamos qualquer forma de interferência nos assuntos internos da Venezuela, especialmente desde os Estados Unidos. O direito internacional deve ser respeitado. Em particular o uso de sanções para obrigar um governo a agir de certo modo viola os Artigos 19 e 20 da Carta da OEA;

3. Consideramos absurdas as tentativas de penalizar diretamente as pessoas que estão em mandatos legais da Venezuela, em especial o presidente Nicolas Maduro;

4. Condenamos qualquer tentativa ilegal, violenta e inconstitucional de derrubar o governo democraticamente eleito de Nicolas Maduro;

5. Apoiamos todas as tentativas de mediação entre governo e oposição na Venezuela para encontrar a paz a través do diálogo como as tentativas da Unasul, o Vaticano, os ex-presidentes Zapatero, Fernández e Torrijos, o grupo de cinco países amigos (Uruguai, República Dominicana, Nicarágua, El Salvador, São Vicente e Granadinas) e o CARICOM;

6. Reafirmamos que qualquer diferença o desacordo que possa existir entre a Venezuela e os Estados Unidos deve ser resolvido com dialogo construtivo e diplomacia;

7. Esperamos que o povo dos Estados Unidos nos ajude a conter a prepotência de seu governo, temporário. E que zele pelos princípios de solidariedade, autonomia e de equidade dos direitos internacionais, entre todos os povos.

Atenciosamente.
Para assinar a Carta, basta enviar Nomes Completos, Organização/profissão e País dos assinantes até o dia 20 de Agosto de 2017 para o email: [email protected]